(41) 3085.5385

Entre em contato

 

Justiça determina retorno de 100% da frota de ônibus em Curitiba e Região

Celio Neto > Notícias  > Justiça determina retorno de 100% da frota de ônibus em Curitiba e Região

Justiça determina retorno de 100% da frota de ônibus em Curitiba e Região

O Tribunal Regional do Trabalho (TRT) determinou no início da manhã desta sexta-feira (27) que o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) e o Sindicato das Empresas de Transporte Urbano e Metropolitano de Passageiros de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp) coloquem em circulação 100% da frota de ônibus com 50% dos cobradores em estações-tubos e terminais. Os cobradores estão em greve desde quinta-feira (26). 

A ordem judicial diz ainda que os sindicatos estão sujeitos a multa de R$ 30 mil por dia caso não cumpram a determinação. Na quinta-feira, os ônibus chegaram a circular somente com os motoristas sem cobrar a passagem, mas nesta sexta os veículos não saíram das garagens. 

“Vamos acatar a decisão da Justiça. Esta decisão é uma resposta de uma petição do próprio sindicato por causa do lockout [ação do setor patronal para travar negociação]. Já estamos comunicando os diretores para que deixem os trabalhadores à disposição e voltem imediatamente. Até estamos pedindo para que os trabalhadores fiquem um pouco mais por causa da troca de turno”, afirmou o presidente do Sindimoc, Anderson Teixeira. 

O turno dos motoristas e cobradores é de seis horas. Os primeiros deveriam ter começado a trabalhar às 4h. De acordo com Teixeira, a ação das empresas acabou complicando o reestabelecimento do serviço, e o sindicato pretende pedir a colaboração dos trabalhadores para que fiquem mais tempo até que tudo seja normalizado. 

Transporte particular 
Na tentativa de evitar transtorno para os usuários, a Urbs, empresa que gerencia o transporte público na cidade, abriu o cadastramento de veículos particulares. O cadastramento começou às 6h e está sendo feito na área de vistoria do transporte coletivo, no bloco ferroviário da rodoviária. Os carros são vistoriados por mecânicos da Urbs e podem cobrar, no máximo, R$ 6,00 por pessoa. Até as 10h30, 93 veículos tinham sido cadastrados. Destes, 40 são da prefeitura e fazem a locomoção de graça. 

Justificativas 
O Sindimoc diz que os ônibus foram impedidos pelas empresas de sair das garagens pelos donos das empresas. Já a Setransp alega que quem impediu a saída dos veículos foram representantes do Sindimoc. 

Reivindicações 
Entre os pedidos dos cobradores está a melhoria nas estações-tubo da cidade. Eles querem que sejam instalados banheiros químicos nos locais e também são contra a cobrança das empresas quando são vítimas de roubos. Em algumas das empresas, os cobradores são obrigados a cobrir as perdas nessas situações. 

Apesar de não terem aderido ao movimento grevista, os motoristas também reclamam das punições que recebem. Eles alegam que são obrigados a pagar às empresas se, porventura, passam por cima de calçadas ou se envolvem em acidentes de trânsito. 

Outra reclamação é sobre a dupla função exercida pelos motoristas de micro-ônibus. Além de dirigir os veículos, eles também precisam cobrar as passagens. Uma lei em Curitiba proíbe a dupla função, mas as empresas ainda não cumpriram a medida aprovada na Câmara de Vereadores. 

Fonte: G1 

Sem comentários

Desculpe, o formulário de comentários está fechado neste momento.